fbpx
"Defending Jacob", a nova minissérie da Apple TV, aborda uma família que sofre as consequências após o filho ser acusado de assassinato.

“Defending Jacob”, a nova minissérie da Apple TV, aborda uma família que sofre as consequências após o filho ser acusado de assassinato.


EEm Defesa de Jacob, minissérie de oito episódios da Apple TV+ e baseada no livro homônimo de William Landay, apresenta uma atmosfera inquietante de um pai que luta para provar a inocência do seu filho de 14 anos enquanto enfrenta os fantasmas do seu passado. A trama explora profundamente a vida de uma família que luta para provar a inocência do filho, mesmo com todas as evidências provando o contrário.

Uma acusação de assassinato abala as estruturas de uma família, até então, considerada perfeita. Formada por Andy (Chris Evans) e Laurie Barber (Michelle Dockery), eles têm suas vidas viradas de cabeça para baixo depois que o filho Jacob (Jaeden Martell) é acusado pelo assassinato de um colega de classe. A história envolve o telespectador em um ambiente de dúvidas, questionamentos e incertezas. Saber quem matou o garoto Ben Rifkin (Liam Kilbreth) se torna uma das pequenas dúvidas diante da complexidade de sentimentos que envolve cada personagem.

A história do promotor Andy Barber que vive uma vida feliz ao lado da esposa Laurie e do filho Jacob, com um emprego respeitável na cidade, bons amigos e ótima vizinhança é questionável durante o desenvolvimento da minissérie. O homem, que é extremamente dedicado à família, parte para uma busca incessante pela verdade e pela justiça, mais uma vez exercendo o seu trabalho, mas ocupando o outro lado da história: o lado das pessoas que sofrem a acusação.

 

AS FACES DE UM ACUSADO

Grande parte do clima de suspense de Em Defesa de Jacob se dá pela atuação e construção dos personagens. Do primeiro ao último episódio vemos como os acontecimentos transformaram os envolvidos por completo. Uma família inicialmente feliz e unida vai se tornando mais distante, suspeita e relutante uns com os outros.

Chris Evans consegue convencer como um pai e marido atencioso, carinhoso e preocupado, até se tornar obcecado pela verdade e desesperado por provar a inocência do próprio filho – mesmo que tenha que colocar sua carreira em risco e revelar o passado que por tanto tempo tentou esconder e esquecer. Michelle Dockery interpreta uma mulher dedicada e ligada à família, até que passa a questionar seu papel como mãe – momento onde o julgamento passa a interferir na relação com a família, no trabalho e com os amigos.

Durante o desenvolvimento dos episódios o que mais chama a atenção são as faces do acusado. Jaeden Martell consegue interpretar um personagem que vai de momentos de delicadeza e fragilidade até sentimentos de total indiferença diante da gravidade do crime e da acusação que está sofrendo.

 

LUTA PELA VERDADE OU CONSTRUÇÃO DE UMA VERDADE?

Os episódios de Em Defesa de Jacob são feitos para maratonar. É impossível terminar um episódio sem imaginar os impactos que certos acontecimentos poderão ter nos próximos. A vontade em obter respostas surge com a combinação de elementos essenciais para a construção do suspense e drama envolvidos.

As cores cinzentas e azuladas personificam o sentimento de vazio, solidão e angústia que todos os personagens carregam, facilmente passado para quem assiste. Os demônios que todos os personagens carregam vem a tona diante do crime que afetou a vida de várias pessoas e de formas muito diferentes.

Em Defesa de Jacob é um jogo de quebra cabeças onde muitas peças estão desaparecidas. A verdade sobre a inocência do garoto de 14 anos é construída para convencer um júri, mas a necessidade pela verdade do assassinato de Ben Rifkin vai muito além de um veredito. É o questionamento de um pai e uma mãe que não sabem se conhecem o próprio filho e do que ele é capaz.

Compartilhe

Twitter
Facebook
WhatsApp
Telegram
LinkedIn
Pocket
relacionados

outras matérias da revista

Televisão
Carolina Cassese

À amizade

“O Método Kominsky” aposta em Michael Douglas e Alan Arkin para pontuar assuntos ligados à terceira idade, em uma comédia indicada a premiações de peso. – Você está devendo o imposto de renda, Sandy! Achou que o governo se esqueceria de você? – Pergunta Norman. – É possível, sim. Hollywood esqueceu. – Responde Sandy. – U$300.000! É muito dinheiro. – Vou te devolver tudo. Faremos um plano de U$1.000 por mês. – Matemática não é o seu forte, né? Isso dá 25 anos! Sabe o quão velho eu estarei daqui a 25 anos? Morto! – Ok. E se eu te

Leia a matéria »
Back To Top