skip to Main Content
O Fenômeno Criado Por Cassandra Clare

O fenômeno criado por Cassandra Clare

Há 10 anos, no dia 27 de março de 2007, a escritora Cassandra Clare publicava City of Bones (Cidade dos Ossos, em português), o primeiro livro da saga Instrumentos Mortais, que até então havia sido pensado como uma trilogia. O livro superou as expectativas e em menos de um mês de venda alcançou uma segunda edição, entrando também na lista dos mais vendidos do jornal New York Times.

Capa da versão brasileira de “Cidade dos Ossos”, da saga “Os Instrumentos Mortais”

O livro apresenta a história da adolescente Clarissa Fray, ou simplesmente Clary. Ela vive em um apartamento no Brooklyn, Nova York, junto de sua mãe Jocelyn e nunca conheceu o seu pai, visto que ele morreu em um acidente antes dela nascer. Clary leva uma vida normal, sem imaginar que sua mãe esconde segredos sobre seu passado e que o seu mundo não é o que parece ser. A mudança na vida de Clary acontece em uma noite qualquer, quando ela resolve sair junto de seu melhor amigo Simon Lewis. Os dois vão a uma boate chamada Pandemônio, onde algumas coisas estranhas começam a acontecer: ela avista alguns jovens misteriosos cheios de tatuagens, presencia um assassinato e, aparentemente, ela parece ser a única pessoa que consegue ver tais acontecimentos.

A partir daí a

vida de Clary vira de cabeça para baixo. Tudo começa com o repentino sequestro de sua mãe, Jocelyn, causado pelos segredos do passado que ela escondia. Como se essa situação já não fosse caótica o suficiente, Clary acaba reencontrando com um dos jovens misteriosos da boate. O nome dele é Jace Wayland e ele tem muitas explicações a dar. O garoto conta, então, sobre os Caçadores de Sombras, também conhecidos como Nephilim, que são uma raça secreta de humanos, nascidos com sangue angelical, que tem por objetivo manter em ordem o Mundo das Sombras. Eles promovem a paz entre os seres do submundo (vampiros, feiticeiros, fadas, lobisomem), escondem esse mundo e seus habitantes dos mundanos, e matam os demônios nas horas vagas. Há quase mil anos os Caçadores de Sombras têm lutado contra as forças demoníacas, além de terem criado a sua própria cultura e civilização na sociedade humana.

Clary descobre que ela faz parte dessa linhagem dos Caçadores de Sombras, assim como sua mãe, e sua vida não é tão comum quanto ela imaginava. No meio de todos esses segredos, traições e mentiras, acaba surgindo um problema ainda maior: um ex-Caçador de Sombras, traidor e inimigo da Clave (a instituição que governa todo o Mundo das Sombras), está em busca do Cálice Mortal (um dos tais Instrumentos Mortais) para poder criar o seu próprio exército de Caçadores de Sombras, o que pode colocar em perigo o Mundo das Sombras e os habitantes do submundo.

Na época em que foi lançado, nos Estados Unidos, Cidade dos Ossos teve uma boa recepção da crítica. De acordo com a Publishers Weekly, o livro é “uma extensa fantasia urbana sobre todo o tipo de criatura conhecida no gênero”; uma resenha publicada no School Library Journal destacou que apesar da obra apresentar algumas falhas narrativas e personagens previsíveis, o livro é divertido e deixa os leitores ansiosos pela continuação; e a autora Kelly Link disse: “São Vampiros contra lobisomens em Harlem, enquanto sensuais caçadores de demônios rondam pelos clubes do Centro e cafeterias do Brooklyn – Cidade dos Ossos é uma épica fantasia urbana. Cassandra Clare é um gênio”.

Publicado pelo Grupo Editorial Record, o livro Cidade dos Ossos chegou no Brasil em 2010 e não demorou muito para se tornar um sucesso de vendas. Em 2016, Cassandra Clare já havia vendido mais de 1,6 milhão de livros no Brasil e 36 milhões no mundo todo.

O sucesso foi tanto que Instrumentos Mortais deixou de ser uma trilogia para se tornar uma saga, ganhando mais três volumes. Ao todo a coletânea é composta pelos volumes: Cidade dos Ossos, Cidade das Cinzas, Cidade de Vidro, Cidade dos Anjos Caídos, Cidade das Almas Perdidas e Cidade do Fogo Celestial.

 

Expansão do Universo Shadowhunter

Com uma legião de fãs conquistados, a autora se dedicou a escrever uma nova trilogia, um manual dos Caçadores de Sombra, dois livros de contos e uma saga (que ainda está sendo lançada) que explora um pouco mais esse universo criado por ela.

A trilogia Peças Infernais (composta pelos livros Anjo Mecânico, Príncipe Mecânico e Princesa Mecânica) se passa na Londres Vitoriana, 10 anos antes da paz travada entre os Caçadores de Sombras e os integrantes do submundo. Muitos nomes das famílias tradicionais dos Caçadores de Sombras como, por exemplo, Lightwood e Herondale, que aparecem na série dos Instrumentos Mortais, também estão presentes nessa nova trilogia. Além disso, também há a participação do personagem Magnus Bane, o alto feiticeiro do Brooklyn, desempenhando um papel fundamental nos acontecimentos de Peças Infernais.

Mural reunindo as três capas da trilogia. Da esquerda pra direita: Príncipe Mecânico, Princesa Mecânica e Anjo Mecânico

O livro Códex dos Caçadores de Sombras é uma espécie de guia ilustrado para os leitores, baseado no livro homônimo na série, O Códex dos Caçadores de Sombra. O livro fornece muitos detalhes como as criaturas fantásticas, os lugares, os monstros, as novas runas e magias. É uma obra muito enriquecedora e cheia de detalhes sobre esse mundo criado por Clare.

As Crônicas de Bane é um livro de contos que reúnem 11 histórias que contam as aventuras vividas por Magnus Bane, o famoso feiticeiro que é muito amado pelos fãs da série. O livro explora o passado de Magnus, que em mais de 300 anos de existência, acumulou diversas aventuras e que também deixou alguns corações partidos. O livro foi escrito por Cassandra Clare e contou com a colaboração de Sarah Rees Brennan e Maureen Johnson.

Contos da Academia dos Caçadores de Sombras é outro livro de contos escrito pela autor e que conta com a colaboração de Sarah Ress Brennan, Maureen Johnson e Robin Wasserman. A obra reúne 10 contos, todos conectados, que mostram a experiência de Simon Lewis na Academia dos Caçadores de Sombras. É relatado desde a sua chegada ao local, das aulas e dos treinamentos intensivos para se tornar um Caçador de Sombras até o momento da cerimônia de Ascensão (o processo através do qual mundanos tornam-se Caçadores de Sombras ao beber do Cálice Mortal).

Em foco, “Dama da Meia-Noite”, primeiro volume da trilogia “Os Artifícios das Trevas”; ao redor, parte da saga literária publicada no Brasil até o volume

A saga Os Artifícios das Trevas é o mais recente trabalho da escritora no universo shadowhunter. Os livros se passam em Los Angeles, em 2015, cinco anos após os eventos de Cidade do Fogo Celestial (o último livro da série dos Instrumentos Mortais). Até o momento só foram lançados os livros Dama da Meia-Noite e Senhor das Sombras; foi confirmado que haverá terceiro livro chamado Queen of Air and Darkness (Rainha do Ar e da Escuridão, em tradução livre), mas ainda não há previsões de seu lançamento aqui no Brasil.

 

Adaptações

Em 2013 foi lançado o filme Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos, a adaptação cinematográfica do livro de mesmo nome da escritora. Dirigido por Harald Zwart (diretor do remake de Karate Kid) e estrelado por Lily Collins (Clary Fray), Jamie Campbell Bower (Jace Wayland), Robert Sheehan (Simon Lewis), Kevin Zegers (Alec Lightwood), Jemia West (Isabelle Lightwood) e Godfrey Gao (Magnus Bane), o filme foi um fracasso das bilheterias.

Banner promocional do filme “Cidade dos Ossos”. Da esquerda pra direita: Simon, Izzy, Alec, Jace e Clary.

De acordo com o site especializado BoxOfficeMojo, Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos arrecadou mundialmente pouco mais que US$ 95 milhões, com um orçamento de US$ 60 milhões. Com esse resultado, a Constantin Films cancelou o início das filmagens da sequência que seria a adaptação do livro Cidade das Cinzas. Em 2015 foi anunciado que seria feita uma adaptação dos livros da Cassandra Clare para a televisão, desenvolvida por Ed Decter. Um ano depois, Shadowhunters estreou nos Estados Unidos, através da rede de televisão Freeform, antiga ABC Family. O elenco conta com os atores Katherine McNamara (Clary Fray), Dominic Sherwood (Jace Wayland), Alberto Rosende (Simon Lewis), Matthew Daddario (Alec Lightwood), Emeraude Toubia (Isabelle Lightwood) e Harry Shum Jr. (Magnus Bane).

Banner promocional da série “Shadowhunters”. Da esquerda pra direita: Alec, Magnus, Jace, Clary, Simon, Izzy e Luke.

A série toma liberdades criativas em relação a trama apresentada no livro como, por exemplo, o quase casamento do Alec com a Lydia Branwell (personagem criada par a série e interpretada por Stephanie Bennett), ou o fato da Isabelle ficar viciada em drogas a partir do sangue de vampiro. Contudo, alguns fãs não gostaram tanto dessas mudanças, já que esperavam algo fiel as obras de Cassandra Clare.

Apesar de uma resposta negativa dos críticos (o Metacritc deu uma classificação de 45/100, e o Rotten Tomatoes deu uma avaliação de 65), Shadowhunters conseguiu ser renovada para a terceira temporada, que contará com 20 episódios, e também se tornou a série mais assistida pela Netflix em Portugal. A série possuiu um material de origem popular, mas aos poucos foi conquistando o público, se tornando mais divertida e criando o seu próprio universo de fantasia.


bruna curi

tem 20 anos, é estudante de Jornalismo, mineira, capricorniana e blogueira nas horas vagas. apaixonada por Livros, Filmes e Séries. gosta de escrever, é uma de suas maiores paixões.

Comente com a gente!

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Back To Top